Pais de Gendron, suspeito de atirar em loja em NY, são investigados

Handreza Hayran
4 Minutos de Leitura
Payton Gendron
Payton Gendron, de 18 anos, transmitiu ao vivo o massacre em uma loja em Buffalo, Nova York,

Agentes federais entrevistaram os pais do jovem de 18 anos acusado de matar 10 pessoas a tiros em um supermercado em Buffalo, no estado de Nova York, e revistaram várias propriedades da família.

As autoridades federais ainda estão tentando confirmar a autenticidade de um manifesto de 180 páginas que foi postado online, descrevendo os planos em detalhes e mencionando Payton Gendron pelo nome, disse a fonte. As autoridades lidam com a hipótese de que o ataque foi devido ao ódio racial.

Os pais de Gendron estão cooperando com os investigadores, disse a fonte, que pediu para não ser identificada.

Gendron, suspeito de atirar, estudou o massacre de Christchurch

Uma investigação preliminar determinou que Gendron visualizou sites de supremacia branca e teorias de conspiração racistas, e estudou o massacre de Christchurch na Nova Zelândia em 2019 e o massacre na Noruega em 2011, disse a fonte.

Não está claro por que Gendron viajou 200 milhas de Conklin, Nova York, para Buffalo e para aquele supermercado em particular, localizado em uma área com grande população negra.

Gendron pesquisou a demografia da área ao redor do supermercado

As autoridades acreditam que Gendron pesquisou a demografia da área ao redor do supermercado Tops Friendly Market e estava à procura de comunidades com grandes populações afro-americanas, disse a fonte.

O chefe de polícia de Buffalo, Joseph Gramaglia, disse no domingo que Gendron esteve na cidade “pelo menos no dia anterior”.

“Aparentemente ele foi lá para investigar a área, para reconhecer a área antes de cometer esse ato maligno e repugnante”, disse Gramaglia em entrevista ao canal ABC.

Clientes e um policial aposentado que trabalhava como segurança estavam entre os 10 mortos no massacre.

Adolescente atirou em um total de 11 negros e dois brancos

A polícia disse que o adolescente atirou em um total de 11 negros e dois brancos no Tops Friendly Market no sábado e transmitiu ao vivo o ataque em uma câmera montada no corpo antes de se render aos policiais.

O ataque de Buffalo ocorreu apenas um mês depois que um tiroteio no metrô do Brooklyn feriu 10 e pouco mais de um ano depois que 10 foram mortos em um tiroteio em um supermercado do Colorado.

Um policial disse à Associated Press que os detetives estavam investigando se ele havia postado um manifesto online. O agente não tem permissão para falar publicamente sobre o assunto e o fez sob condição de anonimato.

A polícia de Buffalo se recusou a comentar um documento que parece explicar as crenças racistas, anti-imigrantes e antissemitas do atirador, incluindo o desejo de expulsar todos os que não são descendentes de europeus dos Estados Unidos.

O documento indica que foi inspirado no atirador que matou 51 pessoas em duas mesquitas em Christchurch, Nova Zelândia, em 2019.

Compartilhe este Post
Nascida e criada em Petrolina-PE, Handreza Hayran é co-fundadora e editora do Foco e Fama. Formada em Computação pela UFRPE, ela também é fã de tecnologia, filmes e séries. Além disso, acredita que histórias bem contadas, são presentes incrivelmente valiosos.