9 Melhores pilotos de Fórmula 1 de todos os tempos

O sonho de todo piloto é estrear na Fórmula 1. Um sonho ainda maior é vencer – ser o primeiro a ver a bandeira quadriculada, receber parabéns de todo o mundo e subir ao topo do pódio para receber a taça e ouvir o hino nacional em sua homenagem.

Mas o principal objetivo de todo piloto é se tornar o campeão da Fórmula 1. Ao longo da história, apenas 33 pilotos de 14 nacionalidades diferentes conseguiram isso. Eles possuem vitórias em 67 temporadas.

1. Michael Schumacher

Campeão do Mundo: 1994, 1995, 2000, 2001, 2002, 2003, 2004

Estatísticas: 19 temporadas – 306 largadas – 155 pódios – 91 vitórias

Ele ganhou mais no mundo – seus recordes de pódios, vitórias e campeonatos ainda estão intocados (embora Hamilton já esteja muito perto). 

Infelizmente, em 2013, Schumacher sofreu um grave ferimento na cabeça enquanto esquiava e ainda está acamado. No entanto, o piloto alemão, é claro, será lembrado apenas por suas acrobacias fenomenais.

2. Ayrton Senna (morreu aos 34 anos)

Ayrton Senna não está no topo das estatísticas da Fórmula 1 em termos de títulos de campeonatos, mas este é apenas um bom exemplo de que a grandeza não se mede em números. 

O brasileiro não era apenas um piloto rápido, ele era um piloto da qualificação, mestre da chuva e um piloto destemido. 

Não existem muitas lendas sobre nenhum outro piloto, como em torno de Ayrton. Em um período relativamente curto para um piloto, apenas 10 anos, Senna se tornou um verdadeiro ídolo da Fórmula 1 e um herói nacional em sua terra natal, o Brasil.

E quem sabe a que altura ele teria chegado se não fosse a tragédia do Grande Prêmio de San Marino, em 1º de maio de 1994, que acabou com a vida de Ayrton Senna aos 34 anos.

Senna morreu no início de 1994 em um acidente no Grande Prêmio de San Marino. Três dias de luto foram decretados no Brasil, e um cortejo de dois milhões de pessoas acompanhou o enterro do atleta brasileiro. 

Além disso, Senna foi considerado absolutamente o melhor em dirigir na chuva, pelo que recebeu o apelido de “Rain Man” 

3. Lewis Hamilton

Lewis Hamilton entrou no mundo da Fórmula 1 como um meteoro em 2007. O estreante britânico competiu com o companheiro de equipe Fernando Alonso e perdeu o campeonato apenas devido a erros nas duas últimas corridas da temporada.

Um ano depois, ele se vingou e se tornou o primeiro piloto da McLaren desde Mika Hakkinen em 1999 a vencer o campeonato. Lewis teve que esperar seis anos pelo próximo título, mas a espera valeu a pena.

Em 2014, com o início do domínio da Mercedes, um novo capítulo começou na carreira de Hamilton, e esse capítulo continua até hoje.

Nos últimos seis anos, Lewis conquistou 68 vitórias em 131 Grandes Prêmios, cinco vezes se tornou o campeão mundial, perdendo o título apenas em 2016.

Com tal movimento, alcançar os recordes de Michael Schumacher é apenas uma questão de tempo.

4. Alain Prost

A prudência nas ações e a precisão nas acrobacias foram as principais armas de Alain Prost, inclusive na luta contra seu inimigo jurado Ayrton Senna.

Foi por sua inteligência que recebeu o apelido de “Professor”. E se não fosse a vocação do francês para os jogos políticos, poderia ter conquistado mais de quatro títulos. Pelo menos Bernie Ecclestone acredita que Prost seria um hexacampeão mundial.

No final da carreira, em 1993, Alain Prost tornou-se apenas o segundo piloto na época, depois de Juan Manuel Fangio, a conquistar mais de três títulos de campeonato e estabelecer um recorde de número de vitórias. Sua conquista – 51 vitórias – foi superada por Michael Schumacher apenas em 2001.

5. Niki Lauda

O talento de Niki Lauda, ​​claro, está fora de dúvida. Em 1975, o austríaco trouxe à Ferrari o primeiro título do campeonato em 11 anos – antes dele, John Surtees venceu o campeonato ao volante de um carro vermelho.

Mas, acima de tudo, o nome de Lauda está associado a um retorno heróico após um terrível acidente e incêndio no Nordschleife-1976.

Dada a extensão das queimaduras e danos nos pulmões, os médicos geralmente duvidavam que Nicky sobrevivesse. Mas ele se recuperou e voltou ao volante de um carro de corrida apenas seis semanas após o acidente.

Lauda até teve uma chance matemática de vencer o campeonato naquele ano, mas na memorável final em Fuji 1976, abandonou voluntariamente a prova. As condições da pista eram, em sua opinião, muito perigosas.

No ano seguinte ao acidente, Lauda, ​​no entanto, tornou-se bicampeão mundial e, em 1984, após retornar à Fórmula 1 após uma curta aposentadoria, conquistou o tricampeonato, à frente de seu jovem parceiro da McLaren, Alain Prost.

6. Jackie Stewart

Jackie Stewart não era apenas um defensor ativo da segurança aprimorada, mas também um piloto incrivelmente bem-sucedido.

Até Lewis Hamilton em 2015, ele era o único britânico a ganhar três títulos da liga. E em termos de número de vitórias em corridas, o escocês até hoje ocupa o oitavo lugar na lista da história.

7. Jim Clark (morte aos 32 anos)

Jim Clark é o último verdadeiro piloto amador. Ele não sonhava com copas do campeonato e só estava interessado em ir rápido. Mas a falta de ambição não se tornou um obstáculo ao sucesso.

De 1962 a 1965, Jim Clark perdeu apenas em caso de problemas mecânicos ou acidentes, e foi bicampeão mundial pela equipe Lotus. Além disso, em 1965 ele venceu as 500 Milhas de Indianápolis.

O escocês morreu em um acidente em uma corrida de Fórmula 2 em Hockenheim. Ele tinha apenas 32 anos.

8. Stirling Moss

Provavelmente nenhum outro não campeão na história da Fórmula 1 mereceu pelo menos um título de campeonato como Stirling Moss. O inglês terminou em segundo lugar na temporada por quatro anos consecutivos. Além disso, na última e quarta tentativa, em 1958, faltou apenas um ponto.

O problema é que Moss nunca se concentrou em ganhar pontos. Só as vitórias o interessavam, e no final da temporada essa abordagem agressiva se fez sentir. Mas, por outro lado, para um amador, Stirling venceu muito – 16 corridas.

9. Juan Manuel Fangio

Juan Manuel Fangio

Para entender melhor a escala das realizações de Juan Manuel Fangio, dê uma olhada nos números a seguir. Durante sete anos, o argentino conquistou cinco títulos de campeonato, quatro dos quais em carros diferentes – Alfa Romeo, Ferrari, Mercedes, Maserati. Seu recorde de número de vitórias no campeonato permaneceu insuperável. E até agora ninguém conseguiu vencer o campeonato em quatro carros diferentes.

Fonte: Autosport