Ana-botin

As 10 mulheres mais influentes de 2020: como são e o que fazem

Vamos falar sobre as mulheres que a Forbes elegeu como as damas mais influentes do ano de 2020.

A Forbes preparou novamente uma lista anual das 100 mulheres mais influentes do mundo. A lista inclui representantes de várias profissões de 30 países do mundo – de políticas a lutadoras contra a pandemia, e este último definitivamente trouxe atualizações para a lista.

O critério de seleção expresso pela Forbes: resolver os desafios únicos de 2020 de todas as formas disponíveis.

A rainha britânica ficou em 46º nesta lista, Elvira Nabiullina em 47º, Rihanna em 69º, Beyoncé em 72º, Sanna Marin em 85º. Mas quem chegou ao top dez mulheres mais importantes do planeta?

10 – Gail Boudreau

A presidente e CEO da Anthem, uma das maiores seguradoras dos Estados Unidos, está entre as dez mulheres mais influentes de 2020.

Gail Boudreau tem 60 anos e uma vasta experiência profissional na área da saúde e, nos primeiros dois anos na sua função atual, as ações da Anthem subiram 20%.

Mas não se trata apenas de benefícios comerciais. A empresa anunciou o Anthem Foundation Awards, que concedeu mais de US $ 53 milhões em doações para tratar dos graves problemas de saúde enfrentados pelos americanos.

9 – Abigail Johnson

A presidente da empresa americana Fidelity Investments é uma das mulheres mais ricas do mundo, segundo a Forbes. 

Abby recebeu seu MBA em Harvard e começou a trabalhar como analista na década de 1980. 

O fundo mútuo de Boston, que Abigail herdou, foi fundado por seu avô, a cadeira da empresa foi passada para ela por seu pai. O bilionário de 58 anos é apaixonado por criptomoedas e lançou uma plataforma em 2018.

8 – Ana botin

Ana é uma famosa banqueira espanhola, presidente do conselho de administração do grupo financeiro e de crédito Santander

Ela assumiu este lugar em 2014, após a morte repentina de seu pai Emilio, mas a mulher estava pronta para o desafio – ela tinha estudado na Filadélfia e Harvard. 

O Santander tornou-se a maior empresa financeira e de crédito da Espanha e um importante player na Europa. 

Botin levou a sério a agitação em casa e se concentrou em ajudar os empresários, especialmente as pequenas empresas pertencentes a mulheres. 

Ana é membro permanente das listas das pessoas mais influentes do mundo e, provavelmente, a única espanhola que não o abandona.

7 – Nancy Pelosi

House Minority Leader Nancy Pelosi (D-Calif.) during a news conference on the day after a mass shooting at Marjory Stoneman Douglas High School in Parkland, Fla., on Capitol Hill in Washington, Feb. 15, 2018. A young man barged into his former high school Wednesday, opening fire on students and teachers and leaving a death toll of 17 that could rise even higher, the authorities said. (Eric Thayer/The New York Times)

Pelosi é o 52º e 55º presidente da Câmara dos Representantes dos EUA. Essa nomeação a torna a mulher com a posição mais alta do país e a segunda na linha de sucessão à presidência.

Em 2013, ela foi indicada para o Hall da Fama Nacional das Mulheres de Seneca Falls. A democrata está agora em seu terceiro mandato como presidente da Câmara, já tem 80 anos.

Pelosi iniciou o quarto processo de impeachment da história dos Estados Unidos contra o presidente, sem medo de confronto com Trump.

Parece que Nancy Pelosi estava pronta para a política desde a infância: ela nasceu em Maryland, que não fica longe de Washington, ela estudou ciência política no Distrito de Columbia e até assistiu ao discurso de posse de John F. Kennedy em 1961.

6 – Mary Barra

General Motors CEO Mary Barra addresses the Global Business Conference for investors in Milford, Mich., Wednesday, Oct. 1, 2014. Barra says the company has enough parts available to fix all the faulty ignition switches that are blamed for at least 23 deaths nationwide. (AP Photo/Carlos Osorio)

Desde 2014, Mary é a CEO da General Motors. Ela se tornou a primeira mulher a chefiar uma das três maiores montadoras americanas.

A GM agora tem pontuações consistentemente altas em relatórios de igualdade de gênero, mas as realizações de Barr não param por aí.

Ela investiu bilhões em veículos elétricos, carros autônomos e um serviço de compartilhamento de passageiros chamado Maven.

E na primavera de 2020, Mary realocou as linhas de produção da General Motors para ajudar a Ventec Life Systems a fabricar equipamentos de ventilação essenciais.

5 – Melinda Gates

A Sra. Gates, de 56 anos, é a quinta mulher mais poderosa do planeta. Como copresidente da Fundação Bill e Melinda Gates, ela tem grande credibilidade na filantropia.

É a maior fundação filantrópica privada do mundo focada em questões globais que vão desde educação e pobreza até anticoncepção e saneamento.

A dotação do fundo é de US $ 40 bilhões. Melinda se concentra nos direitos das mulheres e meninas e nas questões de desigualdade.

Além disso, a Fundação Gates alocou fundos ativamente para combater o coronavírus.

4 – Ursula Von Der Leyen

Von der Leyen é a primeira mulher a presidir a Comissão Europeia. A mulher de 62 anos detém poderes impressionantes: é responsável pela legislação que afeta mais de 700 milhões de europeus.

De 2005 a 2019, ou seja, até a atual nomeação e mudança para a Bélgica, a política alemã trabalhou no gabinete de Angela Merkel, estando nele mais tempo do que todos os seus colegas.

Ursula ocupou os cargos de Ministra da Família, Ministra do Trabalho e Assuntos Sociais, nos últimos seis anos foi Ministra da Defesa da Alemanha.

Em setembro de 2020, em seu primeiro discurso em seu novo cargo como presidente da comissão, ela condenou veementemente a política da Polônia contra os direitos LGBT.

3 – Kamala Harris

Photo by Adam Schultz / Biden for President

Claro, a lista da Forbes não poderia ter passado sem Kamala Harris, uma democrata que foi chamada de inimiga pessoal de Trump e uma verdadeira lutadora que, de uma família de imigrantes, chegou ao topo da política americana. 

Ela se tornou a primeira mulher na história dos Estados Unidos a ser eleita vice-presidente, antes a primeira índia americana a ser eleita para o Senado dos Estados Unidos e a primeira afro-americana e a primeira mulher a servir como procuradora-geral da Califórnia.

2 – Christine Lagarde

Em novembro de 2019, Lagarde foi a primeira mulher a chefiar o Banco Central Europeu.

Agora, a presidente do Banco Central Europeu, de 64 anos, enfrenta um sério teste: a ameaça de uma crise econômica na zona do euro causada pela pandemia do coronavírus.

De 2011 a meados de 2019, Christine liderou o Fundo Monetário Internacional, que atua para garantir a estabilidade do sistema monetário global, e também foi a primeira mulher nessa posição.

Antes disso, ela foi Ministra da Economia e Finanças da França.

1 – Angela Merkel

A lista das mulheres mais influentes de 2020 é coroada com o nome da Chanceler Federal da Alemanha. Ela tornou-se a primeira mulher a ocupar o cargo de chefe do país e ocupa o cargo desde 2005, apesar das inúmeras previsões de sua saída.

No entanto, Ângela está bem ciente da necessidade de rotatividade. A chanceler disse que não iria para um novo mandato em 2021.

De fato, Merkel é a líder da Europa, tudo graças à robusta economia alemã. Uma pesquisa de outubro de 2020 descobriu que 75% das pessoas em 14 países europeus confiam em Angela mais do que em qualquer outro político.

A chanceler deixou mais de um milhão de refugiados sírios em seu país, opôs-se ativamente a Trump e continuou a trabalhar para fortalecer a União Europeia.

A única questão que interessa a todos agora: quem assumirá o comando quando Merkel deixar o cargo.

As 10 mulheres mais influentes de 2020: como são e o que fazem via @focoefama

Autor(a): Handreza Hayran

Handreza Hayran é editora do Foco e Fama. Acredita que histórias bem contadas, são presentes incrivelmente valiosos.
Também é apaixonada por séries, música, cinema e tudo o que é tecnológico.