‘O Telefone do Sr. Harrigan’ é baseado em fatos reais?

Handreza Hayran
4 Minutos de Leitura
O Telefone do Sr. Harrigan

As obras de Stephen King estão cheias de todos os tipos de monstros e vilões memoráveis. Mas na última adaptação cinematográfica, porém, o vilão não é um homem: é um objeto.

‘O Telefone do Sr. Harrigan’ é uma história de terror sobre ser viciado em seu smartphone.

‘O Telefone do Sr. Harrigan’ é uma história verdadeira?

Não. ‘O Telefone do Sr. Harrigan’ é baseado no livro escrito por Stephen King, publicada como uma das quatro partes da coleção ‘If It Bleeds‘.

O diretor John Lee Hancock, que também escreveu o filme, teve que enfrentar os desafios de adaptar uma obra literária para conceber o filme.

Sobre o que é o filme ‘O Telefone do Sr. Harrigan’?

Baseado no conto de mesmo nome da coleção de 2020 de King, If It Bleeds, Mr. Harrigan’s Phone segue a história de um menino chamado Craig (Jaeden Martell) que vive com um pai solteiro (Joe Tippett).

Após a morte de sua mãe, Craig assume um emprego lendo livros em voz alta alguns dias por semana para um bilionário idoso (Donald Sutherland), que por algum motivo mora em uma pequena cidade da Nova Inglaterra, onde não tem conexões familiares ou comerciais.

O filme começa em 2003 e depois salta quatro anos para um momento em que Craig fica extremamente focado em um objeto de desejo em particular: o recém-lançado iPhone.

Seu ensino médio está em plena febre dos smartphones, a ponto de as mesas do refeitório serem divididas por marca.

Durante esse tempo, Craig e Mr. Harrigan formam uma espécie de amizade tranquila.

Eles se encontram várias vezes por semana, conversam sobre livros e a vida, e o Sr. Harrigan lhe envia um cartão com uma raspadinha.

Para o Natal de 2007, Craig recebe uma boa grana: não só seu pai lhe dá aquele iPhone para que ele possa se sentar à mesa legal, mas também, depois de anos de fracassos, sua raspadinha do Sr. Harrigan ganha incríveis US$ 3.000.

Como sinal de seu apreço, Craig gasta parte de seus ganhos inesperados em um iPhone para seu chefe.

A coisa sobre o Sr. Harrigan é que ele é uma espécie de tecnófobo. Não tem TV nem rádio em casa porque sabe que vai perder muito tempo com eles. Mas ele também é um mago financeiro (embora aposentado) que se mantém ocupado negociando ações.

Então, quando seu jovem funcionário lhe mostra o aplicativo de ações do iPhone, com seus números se movendo quase em tempo real, Harrigan fica paralisado.

E uma vez que ele percebe que pode obter artigos do The Wall Street Journal no momento em que são publicados, em vez de esperar pelo jornal no dia seguinte, sua fixação se torna uma espécie de obsessão.

Em um dado momento, o Sr. Harrigan morre. Em um ato estranho e espontâneo, Craig coloca o iPhone de seu amigo no caixão antes de ser enterrado, garantindo que seu vício em smartphones continue na vida após a morte.

E é aqui que Mr. Harrigan’s Phone muda de uma história tranquila e contemplativa sobre uma amizade que atravessa gerações para um thriller com possíveis elementos sobrenaturais.

Craig liga para o telefone do Sr. Harrigan para deixar uma mensagem, e… coisas estranhas começam a acontecer. Ele recebe mensagens estranhas do número do Sr. Harrigan e, eventualmente, é quase como se as coisas que ele pede de seu amigo morto comecem a se tornar realidade.

Compartilhe este Post
Nascida e criada em Petrolina-PE, Handreza Hayran é co-fundadora e editora do Foco e Fama. Formada em Computação pela UFRPE, ela também é fã de tecnologia, filmes e séries. Além disso, acredita que histórias bem contadas, são presentes incrivelmente valiosos.