Pai em dobro

Pai em dobro: crítica do filme da Maísa na Netflix

A partir de 15 de janeiro disponível na Netflix, encontramos o filme Pai em dobro sob a direção de Cris D’Amato e co-escrito por Renato Fargundes e Thalita Reboucas

Como protagonista, encontramos Vicenza (Maisa Silva), uma jovem de dezoito anos que sempre viveu em paz e harmonia numa comunidade hippie, mas é atormentada por uma questão específica: quem é o pai dela? 

Para ela, ele sempre foi uma figura misteriosa, escondida dos olhos dos membros de sua família atual. 

Quando sua mãe parte em uma jornada espiritual para a Índia, Vicenza aproveita a oportunidade para se aventurar pelo Rio de Janeiro na esperança de encontrar seu pai. 

Ela se deparará com uma descoberta surpreendente: dois pais estarão prontos para recebê-la, mas Vincenza terá que descobrir, no decorrer do filme, se são biológicos.

Pai em dobro: redescobrindo sentimentos

“Pai em dobro” entra nos espaços abertos e exuberantes do Rio de Janeiro para nos entregar uma história leve e despreocupada, ideal para um público muito jovem.

A aventureira Vicenza, interpretada por Maisa Silva muito alçada de olhares e sorrisos sempre incisivos, resolve tirar o pó de um passado guardado a sete chaves pela mãe. 

Sempre faltou uma figura paterna como elemento central de apoio, que se prestasse à escuta e que renovasse o estado de espírito de uma menina parcialmente perdida. 

Com dois pais, Paco (Eduardo Moscovis) e Giovanni (Marcelo Mèdici), o primeiro um pintor de espírito livre e o outro um ranzinza e mal-humorado consultor financeiro, o filme se concentra apenas na relação entre esses três personagens principais garantindo um ambiente alegre caracterizado por cenas equilibradas entre risos e afetos bem integrados nos diálogos e nas novas dinâmicas familiares. 

Encontrando-se num mundo totalmente estrangeiro e com tecnologias que não lhe pertencem, Vicenza deve também se adaptar a uma cidade em constante evolução mas repleta de vislumbres visuais que a podem inspirar a assumir o papel de filha.

Leveza é o ponto forte do filme da Maísa

O filme de Cris D’Amato tentou identificar um percurso predefinido, mas nunca excessivamente enjoativo: a intenção é apresentar uma menina em busca de novas realidades, não ao contrário do que sempre obteve em sua comunidade. 

Não devemos estar interessados ​​em um drama preparado à mesa, porque isso absolutamente não está incluído no desenvolvimento de “Pai em Dobro”.

Pai em Dobro” é capaz de explorar habilmente suas duas horas de minutos para colocar três divertidos performers no pedestal, capazes de nos acompanhar com um sorriso em lugares exuberantes dignos de serem visitados e admirados. 

Pai em dobro

Autor(a): Handreza Hayran

Handreza Hayran é editora do Foco e Fama e autoproclamada especialista das curiosidades obscuras da cultura pop.

Homem-Aranha 3

Homem-Aranha 3: fotos e vídeos do set mostram Tom Holland e Zendaya

Dawson's Creek

Dawson’s Creek na Netflix e Amazon: por que a música tema mudou?