Aretha Franklin: parto aos 12 anos, alcoolismo e fama

Aretha Franklin – cantora mundialmente famosa, rainha do soul, dona de 18 estatuetas Grammy, a primeira mulher no Rock and Roll Hall of Fame… Mas sua vida não foi tão maravilhosa quanto essas conquistas agradáveis.

Família de Aretha Franklin

A formação dos pais de Aretha determinaram seu caminho para a cena musical. Ela nasceu na família de um famoso pregador e cantor gospel, desde cedo cantou com suas irmãs em um coro de igreja e esteve ativamente envolvida na vida religiosa e cultura musical.

Já criança, Areta mostrava excepcional talento musical e costumava se apresentar em igrejas com o pai, reforçando sua pregação com canções.

O pai de Areta falava regularmente não apenas em sua paróquia, mas também viajava pelo país coletando milhares de dólares em doações por meio de sermões. Ele foi apelidado de homem com a “voz de um milhão de dólares”.

Sob sua liderança, Areta deu seus primeiros passos no cenário musical. Ele também ajudou sua filha a fechar o primeiro contrato e lançar os primeiros singles.

Seu pai, nas horas vagas dos sermões, organizava orgias desenfreadas com o uso de drogas. Além disso, segundo rumores, ela quando menor engravidou dele. A mãe de Aretha, Bárbara, suportou esse comportamento por muitos anos e depois saiu de casa, deixando sua filha de seis anos.

Três anos depois, Barbara morreu de ataque cardíaco com apenas 34 anos. Ela tinha uma ótima voz, que Aretha herdou.

Aretha Franklin engravidou aos 12 anos

O comportamento dos pais teve grande influência em Aretha, mas não no melhor sentido da palavra. Aos 12 anos, ela engravidou. Correram rumores de que a menina deu à luz um filho de seu próprio pai, mas os biógrafos de Aretha tendem a acreditar em suas palavras de que o pai era o cantor Sam Cooke, que tinha quase o dobro de sua idade.

Aretha voltou à escola, deixando o bebê aos cuidados das irmãs, mas dois anos depois engravidou de seu segundo filho, Edward, a quem deu à luz aos 15 anos.

Depois disso, ela decidiu abandonar os estudos e se tornar cantora. Ela deu o bebê para ser criado por sua própria avó, e ela saiu em turnê com seu pai e sua Caravana Gospel do coral.

Aretha gravou seu primeiro álbum “Songs of Faith” (Canções de Fé)

Aretha Franklin cresceu cercada por música religiosa, o que não era apenas um hobby para ela, mas um estilo de vida.

Aos 10 anos cantava solo e aos 14, graças às suas apresentações regulares na igreja, já era uma profissional consolidada. Foi nessa idade que Areta gravou seu primeiro álbum, “Songs of Faith”. O disco foi gravado “ao vivo” – durante um dos shows da cantora na igreja.

Mas quando Aretha completou 18 anos, ela confessou ao pai que gostaria de seguir os passos de Sam Cook e cantar mais músicas populares.

Franklin queria que suas canções ultrapassassem as paredes da igreja, fossem ouvidas pelo maior número de pessoas possível. O pai não se opôs e ajudou Arete a gravar demos em um novo estilo, que interessou à Columbia Records, uma das maiores gravadoras da América.

Aretha, o jazz e o pop

Os próximos 6 anos na vida de Aretha Franklin foram marcados pela Columbia Records. A cantora gravou cerca de 10 álbuns, nos quais se afastou bastante não só do gospel, mas também do soul.

Ela trabalhou principalmente dentro dos padrões do jazz e do pop, e essa música é marcadamente diferente do que Franklin começaria a fazer em meados dos anos 60.

Para uma aspirante a cantora de 18 anos, trabalhar com uma grande gravadora como a Columbia era um grande sucesso.

Mas, subsequentemente, fãs e conhecedores de Aretha Franklin como cantora de soul chamaram os anos que ela passou na Columbia Records de “perdidos”. Eles acreditam que a gerência da gravadora simplesmente não entendeu o que fazer com o talento de Franklin.

O som de seus primeiros discos oscila entre jazz, pop e R&B, fundindo-se com o mainstream da música comercial da época. Ao mesmo tempo, as habilidades vocais únicas da cantora claramente não foram usadas o suficiente.

Isso não significa que a carreira de Franklin durante esse período foi um fracasso total. Suas canções entravam nas paradas populares, mas ainda estavam muito longe do verdadeiro sucesso.

“Never Loved a Man the Way I Love You” fez de Aretha uma estrela de sucesso

Uma nova etapa na obra de Franklin começou em 1966, quando terminou o contrato com a Columbia, e ela passou a cooperar com o famoso produtor Jerry Wexler, um dos diretores da gravadora Atlantic.

Wexler confiava no rhythm and blues e amava a black music. Ele entendeu imediatamente a natureza do talento de Franklin, e o primeiro disco que ele produziu: “Never Loved a Man the Way I Love You” fez de Aretha uma estrela.

Neste álbum, Franklin encontrou a voz que a tornou famosa. Por várias semanas o disco ficou em segundo lugar na parada de álbuns da Billboard, ou seja, literalmente toda a América o ouvia.

Franklin, que naquela época tinha 10 álbuns em seu currículo, renasceu como cantora.

Música “Respect”: um dos maiores sucessos de Aretha Franklin

Um dos maiores sucessos do trabalho de Aretha Franklin foi a música “Respect”. Ela deixou uma marca não só na carreira da cantora, mas também na história da América.

Em 1967, no pico da luta contra a segregação racial e pelos direitos civis dos negros nos Estados Unidos, o país estava envolto em procissões, comícios e protestos.

A sociedade estava se revoltando contra a desigualdade e a carnificina sem sentido no Vietnã. Motins espontâneos de negros estouram em centenas de cidades da América, que ficou dilacerada por problemas sociais.

Nessa época, o single “Respect” de Franklin foi lançado. A música foi escrita por Otis Redding em 1965. Mas foi a versão de Areta que a tornou um verdadeiro sucesso.

“Respect” de Redding é a reclamação de um homem cansado exigindo pelo menos o mínimo de respeito de uma mulher quando volta do trabalho à noite. Para isso, ele está pronto para ignorar as deficiências dela e trazer dinheiro para casa.

De acordo com algumas interpretações, “Respect” neste contexto é, geralmente falando, sobre sexo.

Franklin mudou o significado da música, mudando apenas levemente suas palavras e colocando acentos nas letras de uma nova maneira.

Ela exige respeito de uma mulher forte e independente. Em sua performance, o alcance semântico da música se expandiu. Não é por acaso que o coro ocupou lugar de destaque na gravação.

As contribuições de Aretha para a causa dos direitos civis foram reconhecidas já em 1968, quando ela recebeu um prêmio especial das mãos de Martin Luther King. Isso aconteceu apenas dois meses antes do assassinato do famoso pregador.

Rainha do Soul

Após o sucesso de “Never Loved a Man the Way I Love You”, Aretha Franklin se tornou uma superstar e logo ganhou o apelido de “Rainha do Soul”.

Lançado em 1968, Lady Soul vendeu mais de 1 milhão de cópias apenas nos Estados Unidos. Franklin estava no topo. Ela distribuiu sucesso após sucesso e por um ano e meio permaneceu no topo de todas as paradas principais.

Por 18 meses, dez canções de Franklin entraram no top ten da parada da Billboard. Entre elas estão:

  1. “Respect”,;
  2. “Chain of Fools”;
  3. “Ain’t No Way”;
  4. “Think”;
  5. “I Say a Little Prayer” e outras canções.

Em 1968, Franklin recebeu seus primeiros prêmios musicais – dois Grammys de uma vez.

Até o final dos anos 1970, Aretha Franklin permaneceu como uma das artistas femininas mais populares e comercialmente bem-sucedidas da América.

No final dos anos 70, a popularidade começou a declinar, mas naquela época Franklin já havia se tornado uma lenda, e o título informal de “Rainha do Soul” ainda pertence a ela.

Vida pessoal

Aos 14 anos, a cantora deu à luz seu primeiro filho. No total, Franklin tem quatro filhos. Os pais dos dois primeiros filhos permaneceram desconhecidos.

A criação dos filhos de Aretha foi assumida pela avó e irmã de Areta, enquanto ela gravava suas primeiras canções e construía sua carreira musical.

Posteriormente, Franklin se casou duas vezes – com seu empresário Ted White e com o ator Glynn Thurman. Ambos os casamentos terminaram em divórcio, e o relacionamento com White foi prejudicado por casos de violência doméstica.

Em 2012, às vésperas de seu 70º aniversário, a cantora ia se casar pela terceira vez – com seu amigo de longa data William Wilkerson, mas um mês depois ela cancelou o casamento.

112 de suas canções chegaram às paradas da Billboard

No total, durante a carreira de Franklin, 112 de suas canções chegaram às paradas da Billboard, 77 delas estavam no top 100, 17 estavam nas linhas de topo no gênero pop e 100 canções alcançaram o topo no gênero R&B.

Ganhou 18 prêmios Grammy

Ela também ganhou 18 prêmios Grammy e vendeu mais de 75 milhões de cópias de seus álbuns. 

Em 1987, Aretha Franklin se tornou a primeira mulher a entrar no Hall da Fama do Rock and Roll. Suas canções estão repetidamente entre as melhores da história da música popular. 

Aretha Franklin está em primeiro lugar na lista dos melhores vocalistas de todos os tempos da revista Rolling Stone.

Morte de Aretha Franklin

Um péssimo diagnóstico apoderou-se da própria cantora em 2010. O câncer de pâncreas é um dos tipos mais agressivos dessa doença.

Areta não comentou o tratamento, dizendo que estava tudo acabado, mas cancelava tantemente shows e, em 2017, aos 75 anos, anunciou sua aposentadoria dos palcos.

Ela prometeu aos ouvintes gravar um novo álbum, mas não teve tempo: em 16 de agosto de 2018, a cantora morreu em sua casa em Detroit.

Areta nunca reclamava da vida, por isso partiu com orgulho e dignidade, e só os filhos sabiam o que isso lhe custava.

Aretha Franklin: parto aos 12 anos, alcoolismo e fama via @focoefama

Autor(a): Handreza Hayran

Handreza Hayran é editora do Foco e Fama. Acredita que histórias bem contadas, são presentes incrivelmente valiosos.
Também é apaixonada por séries, música, cinema e tudo o que é tecnológico.