A incrível história de Shirley Temple, a vencedora do Oscar mais jovem

Handreza Hayran 16/03/2022
Atualizado 07/04/2022 14:43
12 Minutos de Leitura
Shirley Temple

As crianças sonham com novos brinquedos, roupas bonitas, amor. Os adultos sonham com um carro novo, roupas da moda, fama e reconhecimento. Shirley Temple teve sonhos de infância e adultos realizados em uma idade muito tenra. Ela recebeu seu Oscar aos 6 anos de idade.

O nascimento de uma estrela

Em 23 de abril de 1928, na cidade californiana de Santa Monica, nasceu uma filha há muito esperada de um bancário George Temple e sua esposa Gertrude. Eles a chamaram de Shirley. 

Desde o nascimento da menina, os pais decidiram que sua herdeira certamente se tornaria uma estrela, uma verdadeira princesa. 

Fez aulas de dança aos 3 anos de idade

Então, já aos 3 anos, o bebê foi enviado para a famosa escola de dança, Mrs. Melgin, onde as crianças aprendiam sapateado, que estava na moda naqueles dias. 

Alguns meses depois, o produtor de Hollywood Jack Hayes passou pela escola, procurando jovens atores para a série musical Baby Burlesk. Shirley estava prestes a ir para casa, sua mãe estava esperando por ela no carro. Mas, inesperadamente, a Sra. Melgin chamou os dois ao seu escritório e perguntou se Shirley gostaria de participar da seleção. 

Assim, o papel principal no show foi para ela. Depois que a série terminou, Shirley conseguiu mais alguns pequenos papéis. 

Como resultado, uma das empresas cinematográficas mais poderosas de Hollywood, a Fox, chamou a garota.

Shirley Temple – a salvação da Grande Depressão

Naquela época, o estúdio estava à beira da falência: os Estados Unidos estavam cobertos pela Grande Depressão e as pessoas relutavam em ir ao cinema. 

Descobriu-se que esses cachos, esse sorriso encantador, essas covinhas nas bochechas são o que as pessoas precisam para esquecer o desemprego e o crime desenfreado. Todos os americanos, sem exceção, queriam vê-la nno filme. 

A Fox conseguiu um verdadeiro tesouro que poderia salvar a empresa cinematográfica da ruína. 

E toda a enorme máquina de estúdio imediatamente começou a funcionar para Shirley. Os melhores roteiristas, compositores e atores da América foram chamados para ajudar. 

Ela fazia aula de dança particular para o público achar que ela aprendia a dançar sozinha

Os famosos cachos de Shirley eram cuidados por sua mãe – todos os dias ela enrolava 56 cachos na cabeça de sua filha. 

Mas a senhorita Temple teve que deixar a escola de dança, a Fox contratou para ela um professor particular.

O pai de Shirley Temple mudou sua certidão de nascimento e reduziu 1 ano de sua idade

O período de estudo no estúdio Melgin foi simplesmente apagado da biografia de Shirley. Ao mesmo tempo, para manter a imagem de um jovem talento, Gertrude Temple mudou a certidão de nascimento de sua filha, reduzindo sua idade em um ano. A própria Shirley descobriu isso apenas aos 13 anos.

Oscar da Felicidade

Cada novo filme com a participação de Shirley acabou sendo mais popular que o anterior. Quando a menina tinha 6 anos, ela se tornou a atriz mais jovem do mundo – a dona do Oscar. 

De acordo com a American Film Academy, Shirley Temple “trouxe mais felicidade para milhões de crianças e adultos do que qualquer outra criança no mundo”. E, ao mesmo tempo, ela percebeu que a fama não é tão boa. 

“Aos seis anos, parei de acreditar em Papai Noel”, lembrou Shirley com tristeza. “Antes do Natal, minha mãe me levou à loja e o Papai Noel, parabenizando os clientes, me pediu um autógrafo.”

Menina rica

Aos 8 anos, o bebê havia ganhado mais de US$ 3 milhões e estava entre as dez estrelas mais bem pagas de Hollywood. 

Seus retratos ostentavam por toda parte: em pôsteres, cartões postais, lembranças. 

A Ideal Novelty & Toy Co lançou uma cópia da boneca Shirley. Era o brinquedo mais popular do mundo – apenas a boneca Barbie, que apareceu mais tarde, poderia ofuscar sua glória. 

Até mesmo um coquetel sem álcool recebeu o nome de Shirley. A propósito, quando Temple cresceu, ela admitiu que estava cansada do sabor dessa bebida.

Claro, toda criança sonhava em repetir o destino de Shirley, e todas as empresas de cinema tentaram freneticamente encontrar sua jovem estrela. Entre as garotas que foram trazidas para os limiares dos estúdios de cinema estava Norma Jean Baker, que muito mais tarde se transformou em Marilyn Monroe

Mas também não havia lugar para ela no mercado de atores mirins, Shirley Temple reinava sozinha. Ela era única e insubstituível.

O fracasso de Shirley Temple

Tudo acabou em 1940. A MGM começou a filmar O Mágico de Oz. Shirley fez o teste para o papel de Dorothy, mas foi inesperadamente escolhida outra garota – Judy Garland

Em resposta, os chefes da Fox decidiram filmar outro conto de fadas super popular – The Blue Bird. O papel da garota Mitil, é claro, foi destinado a Shirley. No entanto, o filme com Judy Garland foi muito mais popular. E o próximo filme de Shirley, The Young Men, falhou francamente.

Shirley com 12 anos deixou de ser uma criança charmosa com bochechas gordinhas. 

O público não queria perdoá-la por crescer, como todas as crianças. E então os produtores da empresa de filmes Fox, esquecendo que essa garota salvou o estúdio da falência, decidiram abandonar Shirley. Foi um movimento comercial normal e muito adulto. Ela se tornou desnecessária.

Crescendo e se tornando normal

Da noite para o dia, de estrela de cinema, Shirley Temple se transformou em uma garota completamente comum. 

Ela finalmente foi para a escola (antes disso, os professores iam à sua casa) e começou a se comunicar com seus colegas. 

No final da Segunda Guerra Mundial, Shirley tentou retornar ao cinema e estrelou vários filmes. 

Shirley cresceu e se tornou uma garota bonita. Ela dificilmente seria capaz de repetir o sucesso de sua infância, mas era bem capaz de se tornar uma atriz adulta de popularidade média.

Shirley Temple se casou

Em 1945, Shirley Temple se casou e dois anos depois, radiante de felicidade, anunciou sua gravidez. 

Mas em 1949 Shirley e seu marido John Agar se divorciaram. Depois disso, Shirley Temple desapareceu das telas para sempre.

O amor salvou a própria Shirley da depressão

A depressão de Temple foi curada por um novo amor e um novo casamento. Seu escolhido foi chamado Charles Elden Black. Shirley deu à luz mais dois filhos.

Em 1957, ela voltou para seus fãs novamente. Desta vez nos programas de TV Shirley Temple’s Book of Fairy Tales e Shirley Temple Theatre. 

Ela se tornou uma mulher amada, algo como ‘Ana Maria Braga’. 

Ela ganhou milhares de novos fãs, muitos dos quais nem sabiam de sua popularidade louca na década de 1930 – eles simplesmente não existiam naquela época.

Shirley Temple vai à Casa Branca

E em meados da década de 1960, a carreira de Shirley mudou drasticamente novamente. Das telas de TV, ela se mudou para o mundo da política

Depois de se tornar membro do Partido Republicano, ela começou a fazer campanha. Então Richard Nixon tornou-se presidente dos Estados Unidos graças a Shirley. 

Depois disso, a Sra. Temple-Black (agora ela só se chamava assim) decidiu se tornar senadora. Mas, infelizmente, ela perdeu a eleição. Seu oponente constantemente zombava de Shirley durante o debate. “Olhe,” ele disse, “a senhorita Tapper quer estar na política. Você quer confiar seu destino a uma garota do show business?”

Mas Shirley aprendeu a aceitar o fracasso com o coração calmo e não ficou chateada. Ela se tornou uma delegada da Assembleia da ONU e até visitou a URSS – como parte da Comissão de Desarmamento Soviético-Americana.

Shirley Temple se tornou a primeira celebridade a dizer à imprensa que estava com câncer

No início dos anos 1970, os médicos diagnosticaram Shirley com um diagnóstico terrível – câncer de mama. Mas Shirley sempre foi uma garota forte. 

Shirley Temple se tornou a primeira celebridade a dizer à imprensa que estava com câncer. 

Em 3 de novembro de 1972, ela foi submetida a uma mastectomia. Três semanas após a operação, ela novamente emitiu uma declaração à imprensa:

“Agora estou completamente saudável”, disse Shirley. 

A American Cancer Society descobriu que o número de mulheres que vêm para exames preventivos aumentou 30%.

Shirley tornou-se a chefe do serviço de protocolo presidencial

A doença ajudou a carreira política de Shirley. Em 1974, o novo presidente americano Ford a nomeou embaixadora na República de Gana, na África Ocidental. E depois de retornar à sua terra natal, Shirley tornou-se a chefe do serviço de protocolo presidencial

Nunca antes este cargo havia sido ocupado por uma mulher. Shirley foi a primeira novamente.

Carreira política de Shirley Temple

Durante o governo Reagan, Shirley trabalhou para o Departamento de Estado. Ela estava envolvida na preparação de futuros embaixadores e cônsules. 

Em 1989, ela mesma voltou a representar os interesses dos Estados Unidos no exterior – na Tchecoslováquia. 

Ela apoiou Václav Havel durante as primeiras eleições presidenciais na Tchecoslováquia. E quando Bill Clinton veio à Casa Branca para substituir George W. Bush, Shirley voltou para casa e sentou-se para escrever suas memórias.

Shirley Temple faleceu em 10 de fevereiro de 2014. A “menina mais feliz do mundo” de 85 anos deixou três filhos, uma neta e duas bisnetas. 

A causa da morte, de acordo com seu atestado de óbito, divulgado em 3 de março de 2014, foi doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC).

Compartilhe este Post