coco chanel 1

Como Coco Chanel não se tornou Rainha da Inglaterra e mais 8 fatos surpreendentes sobre ela

Coco Chanel sempre acreditou que, sendo uma grande mulher, ela tem o direito de inventar sua própria história. Bem, fictício ou não, hoje nos parece verdadeiramente único.

Se as lendas vivessem para sempre, então em 19 de agosto, Gabrielle Chanel comemoraria seu 137º aniversário.

Nesse artigo, contamos cerca de quinze fatos da vida de Mademoiselle Coco, que irão apresentar a você a primeira mulher estilista sob uma luz completamente diferente.

1 – Coco é um apelido devido as músicas que ela cantava

Todo mundo sabe que o verdadeiro nome da francesa é Gabrielle. E a própria Coco nunca o escondeu (ao contrário, aliás, da sua idade, que a mulher sempre “reduzia” em dez anos).

A futura estilista recebeu seu apelido icônico durante seus empregos de meio período em um cabaré local, onde cantava Ko Ko Ri Ko e Qui qu’a vu Coco canções populares todas as noites.

2 – Chanel não é seu sobrenome

Quanto ao sobrenome, se você seguir escrupulosamente os fatos, então não deveria ter soado “Chanel”, mas “Chansel“. É assim que o sobrenome da recém-nascida Gabrielle foi registrado no livro de registro de nascimento.

3 – Coco Chanel foi costureira

Coco Chanel, embora desde muito jovem associada ao mundo da moda (a garota trabalhava como costureira e vendedora em uma loja de roupas, ela nem sempre queria se envolver seriamente na modelagem.

Na juventude, Coco sonhava em ser animadora e, em busca de reconhecimento, chegou a trabalhar nos resorts de elite de Vichy. No entanto, Gabrielle logo desistiu de suas ilusões e percebeu que seus poucos talentos para cantar não a tornariam famosa.

4 – Sua carreira iniciou com a produção de chapéus

Chanel iniciou sua jornada no mundo da alta costura francesa com a produção de chapéus.

Ela abriu sua primeira loja imediatamente após se mudar para Paris em 1910. A loja logo mudou para a Rue Cambon em frente ao Ritz Hotel, onde permanece até hoje.

O sucesso dos chapéus Chanel foi tão grande que Coco Chanel logo abriu outro ateliê em Biarritz e Deauville.

5 – Coco apresentou seu primeiro terno de tweed em 1925

Coco apresentou seu primeiro terno de tweed com uma jaqueta justa e saia em 1925. Foi um manifesto de conforto e simplicidade, além de um dos primeiros exemplos de como as coisas do guarda-roupa de um homem podem migrar para o de uma mulher.

Naquela época, o tweed não era novidade, mas podia ser usado exclusivamente em homens.

Mas para a Chanel, como se costuma dizer, quaisquer proibições abriam apenas espaço para experimentação.

Posteriormente, muitas coisas do guarda-roupa dos homens como coletes, jaquetas, calças e chapéus, tornaram-se os principais atributos de sua identidade corporativa. E foi uma verdadeira revolução na moda.

6 – O autor do perfume Chanel 5 foi um perfumista de Moscou

Gabrielle Chanel, como a maioria de suas colegas da loja, não criou ela mesma um perfume, confiando essa difícil missão a um perfumista profissional.

O autor do perfume cult era então um russo no exílio Ernest Eduarodvich Bo, um perfumista de segunda geração.

Seu pai era francês e trabalhava para a Casa dos Romanovs, então o jovem aprendeu com os perfumistas de Grasse todas as sutilezas da criação de fragrâncias desde cedo.

Em 1921, ele convidou Coco para escolher uma das várias amostras de perfume que havia criado.

Coco Chanel, como você sabe, escolheu o frasco número 5 e deu à composição final seu próprio sobrenome. Assim nasceu o Chanel # 5 e foi a primeira vez na história que um perfume recebeu o nome de uma marca.

7 – Coco Chanel como rainha?

Quanto maior a fama de Chanel como estilista, mais amplo se tornava seu círculo de amizades. Em algum ponto, ela se expandiu para a aristocracia britânica.

Em 1923, Coco conheceu figuras como Winston Churchill, duque de Westminster Hugh Grosvenor (com o trisavô do atual duque e também o homem rico mais jovem do reino) e, por fim, o herdeiro da coroa britânica, o príncipe Eduardo.

Alguns historiadores ainda acreditam que o tio de Elizabeth ficou impressionado com a francesa e até a pediu em casamento.

Enquanto isso, o que se sabe com certeza é que Coco foi cortejada pelo duque de Westminster. O romance durou cerca de dez anos.

8 – Coco Chanel e a espionagem

A Segunda Guerra Mundial não poupou ninguém, incluindo Coco.

Em 1940, seu sobrinho Andre Palace foi feito prisioneiro pelos nazistas. Chanel, é claro, tentou libertar o parente, usando suas conexões de longa data na embaixada alemã.

Andre foi então libertado, mas a própria Coco Chanel caiu na armadilha de Hans Gunther von Dinklage, tornando-se sua amante em 1942. Desde então, acredita-se que Chanel até tentou convencer Churchill a negociar com os nazistas.

Depois da guerra, ela foi imediatamente acusada de colaboração e levada sob custódia. No entanto, graças aos esforços do mesmo Churchill, eles foram libertados, mas, no entanto, sem o direito de entrar na França.

Chanel só teve permissão para voltar em 1953.

9 – Morte de Coco Chanel

Coco Chanel morreu aos 87 anos de ataque cardíaco no elegante hotel Ritz, onde ela morou nos últimos 30 anos.

A cerimônia fúnebre aconteceu na igualmente pomposa Igreja da Madeleine, no centro de Paris.

O caixão de Chanel foi adornado com milhares de flores brancas, e designers como Yves Saint Laurent, Pierre Balmain e Cristobal Balenciaga foram se despedir da lenda da moda.

Como Coco Chanel não se tornou Rainha da Inglaterra e mais 8 fatos surpreendentes sobre ela via @focoefama
Marcações:
nv-author-image

Handreza Hayran

Handreza Hayran é editora do Foco e Fama. Acredita que histórias bem contadas, são presentes incrivelmente valiosos. Também é apaixonada por séries, música, cinema e tudo o que é tecnológico.