Escândalo em Grey’s Anatomy: roteirista da série fingiu ter câncer por mais de 8 anos

Grey’s Anatomy estreou na telinha em 2005, já lançou 400 episódios até hoje e acumulou nada menos que 18 temporadas.

O drama médico de Shonda Rhimesque lhe deu um lugar de prestígio na indústria e seu próprio selo (sua produtora, Shondaland, produziu grandes sucessos, de Scandal e How to Get Away with Murder a Bridgerton). No entanto, a história de uma das roteiristas do programa, Elisabeth Finch, acabou sendo a mais rebuscada.

Elisabeth Finch fingiu ter câncer

A famosa roteirista Elisabeth Finch da série de sucesso Grey’s Anatomy, teria baseado os capítulos da produção em uma fase devastadora de sua vida, pois descobriu-se que aos 34 anos ela anunciou que tinha câncer, mas recentemente negou essas declarações, causando furor nas redes.

Ao mesmo tempo em que confessou que mentiu sobre seu real estado de saúde para chamar a atenção do público, também revelou o quão difícil foi esse erro, já que declarou ter cometido o maior erro que já cometeu.

No início deste ano, a roteirista recebeu licença após ser acusada de inventar seu problema de saúde para criar fama e garantir o sucesso da série.

Finch se juntou a Grey’s Anatomy em 2014 como roteirista e produtora da ficção depois de ter trabalhado em The Vampire Diaries e True Blood.

Sua chegada ao mundo de Grey’s Anatomy (série em que sonhava trabalhar) ocorreu em relação a um artigo que havia publicado na revista Elle em que contava, na primeira pessoa, como era viver com condrossarcoma, um tipo de câncer que afeta os ossos.

Sua história foi tão poderosa que chamou a atenção de Rhimes e Krista Vernoff, que a incorporou a Grey’s Anatomy para escrever, a partir de seu conhecimento, micro-histórias que fossem marcadas pela veracidade e que ressoassem com o público.

O objetivo era ter uma escritora que projetasse uma voz genuína, que tivesse vivenciado em primeira mão uma doença que a série procurava abordar de forma respeitosa e confiável.

Finch manteve seu emprego na Grey’s Anatomy, era respeitada por sua escrita e era apoiada por todos os seus colegas. Afinal, Elisabeth era uma sobrevivente.

Elisabeth Finch inventou que seu irmão havia cometido suicídio

Acontece que seu falso diagnóstico de câncer não foi a única mentira que Elizabeth Finch inventou. Havia toda uma série de passagens dramáticas que a escritora afirmava ter vivido todos esses anos. 

Entre elas, o suicídio de seu irmão, que teria abusado dela quando ela era pequena. Pouco depois, os funcionários de Grey’s Anatomy descobriram que Eric Finch, irmão da roteirista,  estava vivo e trabalhando como médico na Flórida. 

Ele também afirmou ter enfrentado a decisão de fazer ou não um aborto em meio à quimioterapia, ter perdido um rim e esperar por um transplante, além de ter ajudado a limpar a sinagoga de Pittsburgh após o ataque terrorista em 2018 porque um homem tinha morrido ali, bom amigo dele… ou pelo menos foi o que disse ao resto da equipe. 

No final, todo o “teatro” acabou quando um dia, apesar de sua resistência, sua ex-mulher a levou ao médico para ser examinada porque ela estava sofrendo de dores insuportáveis. Segundo a versão que Beyer entrega à Vanity Fair, o profissional em nenhum momento falou em câncer ou que só tinha um dos rins.