Um robô pode ser um CEO melhor do que um humano? Esta empresa chinesa está prestes a descobrir

Handreza Hayran
2 Minutos de Leitura

Pela primeira vez na história, uma inteligência artificial se tornou o CEO de uma empresa.

A empresa chinesa NetDragon Websoft, criadora de aplicativos e jogos, nomeou uma inteligência virtual como CEO. Segundo a administração, a inteligência artificial é o futuro da governança corporativa.

Conheça Ms Tang Yu

A empresa chinesa NetDragon Websoft, que está envolvida na criação de aplicativos móveis e no desenvolvimento de jogos online, nomeou a primeira inteligência artificial do mundo para o cargo de CEO.

O novo “funcionário” chamado Ms Tang Yu tornou-se o chefe da subsidiária, Fujian NetDragon Websoft.

Segundo a administração, a inteligência artificial é o futuro da governança corporativa, e a nomeação de Tang Yu foi um passo simbólico para a mudança em todo o mundo.

“Tang Yu simplificará os processos da empresa, melhorará a qualidade das tarefas de trabalho e a velocidade de conclusão. Ela também atuará como um data center e ferramenta analítica que toma as decisões do dia-a-dia da empresa. Outra de suas tarefas é fornecer um sistema de gerenciamento de risco mais eficaz”, disse a empresa em um comunicado.

Além disso, a Tang Yu interagirá com os funcionários, apoiará e organizará várias atividades para eles.

A empresa planeja expandir as capacidades e funções de Tang Yu, bem como transformar a própria empresa em uma “comunidade de trabalho baseada no metaverso”.

A notícia da nomeação de Tang Yu provocou um debate acalorado nas mídias sociais, com alguns usuários se opondo veementemente a uma “revolta das máquinas” no local de trabalho.

A propósito, em 2017, o popular empresário chinês Jack Ma disse que “em 30 anos, o robô provavelmente aparecerá na capa da revista Time como o melhor CEO”.

Parece que não estamos tão longe desse tempo.

Escrito por Handreza Hayran
Nascida e criada em Petrolina-PE, Handreza Hayran é co-fundadora e editora do Foco e Fama. Formada em Computação pela UFRPE, ela também é fã de tecnologia, filmes e séries. Além disso, acredita que histórias bem contadas, são presentes incrivelmente valiosos.