Jordan Belford

Essa é a história de Jordan Belford, o verdadeiro ‘lobo’ de Wall Street

Pode ser que, ao escutar o termo ‘lobo de Wall Street’, você pense imediatamente no ator Leonardo DiCaprio. Em 2013, Leo foi dirigido por Martim Scorsese no filme “O Lobo de Wall Street”, adaptação do livro de memórias do próprio lobo, publicado em 2008.

O filme, assim como o livro, explora seu crescimento meteórico no mercado financeiro.

Mas quem é este homem, afinal?

Jordan Ross Belfort nasceu no dia 9 de julho de 1962, no bairro do Queens, em Nova York. É do signo de câncer, para aqueles que gostam de analisar a pessoa através do horóscopo!

Foi ali, no próprio bairro do Queens, em um apartamento modesto, sem muitas regalias ou conforto que ele cresceu. Filho de um contador, com quem diz ter aprendido o que é certo e o que é errado, ninguém poderia imaginar seu futuro!

Mas para quem olhasse de perto, desce muito cedo o garoto já mostrava que era um vendedor e empreendedor nato.

Aos 8, ele entregava jornais de porta em porta, aos 12 ele chegava a cobrar 20 dólares dos vizinhos para retirar a neve de suas portas de entrada em dias de forte tempestade de neve no inverno rigoroso de Nova York, e aos 16 ele vendia picolé na praia. E já contratava crianças menores para cobrir maior parte do litoral.

Após concluir o ensino médio, Jordan investiu o dinheiro que ganhou com a venda de sorvetes na praia em uma matrícula na Escola de Odontologia, já que sua mãe passou sua infância inteira falando que a única forma de ganhar dinheiro era sendo médico.

Como ele achou que os dez anos do curso de Medicina seria um período muito longo para que ele ficasse rico, escolheu a odontologia, que levaria menos tempo.

Porem, no primeiro dia de aula, em seu discurso de boas vindas para os 105 alunos recém-chegados ao curso, o Reitor da universidade disse que a era dourada da carreira de dentista tinha terminado. E que aquele era o lugar errado para os alunos cuja intenção era ganhar dinheiro.

“Estou no lugar errado!”

Seu primeiro negócio próprio

E foi assim que ele largou o curso, no primeiro dia. E começou a vender bifes, lagosta e camarão de porta em porta para uma empresa. No primeiro dia de trabalho, ele bateu o recorde de vendas da empresa.

Após 4 semanas aprendendo sobre esta atividade, ele decidiu abrir seu próprio negócio. Assim que começou a contratar e treinar pessoas, pois seu negócio cresceu rapidamente, compreendeu que ele não era apenas um bom vendedor, mas tinha habilidade excepcional para ensinar e motivar vendedores. 

Depois de um certo tempo, ele tinha 26 caminhões de entrega e 26 vendedores. E um Porshe na garagem aos 24 anos de idade. Mas como ele não tinha noção alguma de gerenciamento de negócio, foi a falência e teve que devolver o carro.

E assim começa seu caminho até Wall Street. Trabalhou por 6 meses banco L.F. Rothschild como estagiário, enquanto tirava sua licença. Exatamente no dia em que a Bolsa de Valores de Nova York despencou, na chamada segunda-feira negra, e a corretora onde ele trabalhava fechou. Assim como quase todas do Mercado financeiro.

A segunda feira negra foi um dia marcado pela queda de 22.61% do índice Dow Jones, que mede a variação média do preço das ações negociadas na Bolsa de Valores de Nova York.

Persistente, e desesperado para pagar o aluguel, ele migrou para uma empresa que sobreviveu ao crash da Bolsa e rapidamente notou um nicho de mercado desenvolveu um sistema de treinamento que fazia com que, em apenas um semestre, a pessoa ficava rica. E em dois anos no Mercado financeiro, ele operava milhões de dólares através se sua própria empresa, Stratton Oakmont.  

Aos 26 anos de idade, ele ganhava um milhão de dólares por ano na Bolsa de Valores.

4 dicas do ‘lobo’ para alcançar sucesso na vida profissional

  • Ter visão de futuro
  • Ter habilidade de gerenciar seu estado mental, emocional e físico
  • Focar no que você acredita
  • Desenvolva o dom da oratória

Falamos dos altos, agora falemos dos baixos!

A empresa Stratton Oakmont acumulou milhões de dólares ilegalmente. Com seu sócio Danny Porush, Belfort utilizava um esquema chamado pump and dump para defrauder os investidores.

Esse sistema consistia basicamente em vender o máximo possível de ações chamadas penny stocks, que custam centavos, mesmo sabendo que eram de péssima qualidade.

Como a taxa de corretagem de ações como essas são mais altas do que as cobradas em venda de ações chamadas blue-chips, como Coca-Cola, General Motors na época, com alto valor de Mercado, Jordan começou a ganhar 50% de taxa de corretagem ao invés de 2%. Ganhavam na quantidade.  

Em 1992, o FBI começou a investigar as operações da corretora. m 2003, Jordan Belfort é condenado a 4 anos de prisão por crimes de lavagem de dinheiro e fraude de valores mobiliários e preso, entretanto, cumpre apenas 22 meses de reclusão.

Um pouquinho de sua vida pessoal

Lotado de dinheiro, Jordan gastava absurdamente, comprando mansões, carros esporte e outros brinquedinhos caros.

Mesmo depois de tudo que aconteceu em sua vida profissional, ele não mudou o ritmo.

Desenvolveu seríssimo vício em drogas, com abuso de vários tipos inclusive, chegou até a tentar cometer o suicídio após uma overdose de cocaína. Se envolveu em incontáveis acidentes quando chapado de Quaaludes, sua droga favorita. Incluindo uma queda de helicóptero em seu próprio jardim e causando o afundamento de seu iate, saindo da marina em uma tempestade, sob influência de drogas.

Abuso de substâncias ilegais, prostituição e várias outras distrações também foram encorajados por ele aos seus funcionários.

Como recomeçar a vida depois de tudo isso?

Depois de sair da prisão por lavagem de dinheiro e fraude de valores mobiliários, Jordan Belfort foi obrigado a pagar uma multa de US$ 110 milhões para investidores cujo dinheiro ele havia utilizado no esquema da Stratton Oakmont.

Atualmente, segue sua carreira ministrando cursos e palestras em renomadas instituições sobre vendas e empreendedorismo. Participa como palestrante em eventos onde divide o programa com pessoas como Tony Blair, ex-Primeiro Ministro do Reino Unido.

Também cobra consultoria em empresas e times de esportes, para ensinar sua técnica da Linha Reta, que diz que o cliente deve ser guiado pelo vendedor a dizer “sim” a tudo que lhe é colocado, sendo levado diretamente à venda. Para isso, o vendedor precisa ter total controle sobre a conversa.

Além disso, sua história, adaptada no filme “O Lobo de Wall Street”, teve recorde de bilheteria e ajuda bastante na venda de seus três livros:

  • O Lobo de Wall Street
  • Os segredos do Lobo – O método infalível de vendas do Lobo de Wall Street
  • A caçada ao Lobo de Wall Street.

Essa é a história de Jordan Belford, o verdadeiro ‘lobo’ de Wall Street via @focoefama

Autor(a): Carol Campos

Carol Campos é escritora. Graduada em Letras e apaixonada pela escrita.