O que aconteceu com Etta James?

Handreza Hayran
2 Minutos de Leitura
etta james

Desde seus singles de R&B comoventes quando adolescente até sua balada atemporal “At Last” e por meio século, a vida desta diva do pop blues tem sido ainda mais dramática do que suas canções.

James nasceu em Los Angeles em 25 de janeiro de 1938 e ficou famosa por músicas como The Wallflower, Something’s Got a Hold on Me e At Last.

Precisamente, o primeiro desses sucessos foi composto em 1955 por John Otis, descobridor de Etta James, que morreu um dia antes da cantora.

A cantora, conhecida como Miss Peaches, superou o vício em heroína e sofreu vários problemas de saúde ao longo de sua carreira na qual ganhou seis prêmios Grammy.

Etta James foi uma cantora fundamental no capítulo crítico do rhythm & blues durante a década de 1950, quando o blues rítmico queria se tornar rock ‘n’ roll ou aproximar-se definitivamente do jazz.

Como tantos outros cantores, começou por experimentar o gospel numa igreja do seu bairro, aproximando-se depois do blues.

Etta James lutou grande parte de sua vida contra a obesidade e seu vício em heroína, e ambos os males quase conseguiram enterrá-la no anonimato até que, em 1988, ela voltou com o álbum ‘Seven year Itch’, que consolidou a lenda.

Mas o que aconteceu com Etta James ao longo dos anos?

Na década de 1960, Etta James foi observada em hospitais, tentou se livrar de seu vício e até acabou em uma prisão feminina algumas vezes.

Triste foi seu casamento com Artis Mills, que foi interrompido por sua prisão por posse de heroína. O marido assumiu a culpa e recebeu uma pena de prisão de 10 anos.

Nos últimos anos, a cantora lutou contra a leucemia. Sua mente começou a desvanecer-se e a demência tornou-se cada vez mais manifesta.

Etta James morreu em 20 de janeiro de 2012 aos 73 anos.

Compartilhe este Post
Nascida e criada em Petrolina-PE, Handreza Hayran é co-fundadora e editora do Foco e Fama. Formada em Computação pela UFRPE, ela também é fã de tecnologia, filmes e séries. Além disso, acredita que histórias bem contadas, são presentes incrivelmente valiosos.