Robert Browning: melhores poemas e citações

Robert Browning foi um famoso poeta e dramaturgo britânico que viveu no século XIX. Seu pai trabalhava em um banco.

Mesmo quando criança, o pequeno Robert estava apaixonadamente interessado em poesia e romance.

História de Robert Browning

Robert Browning nasceu em Londres em 1812, no auge das Guerras Napoleônicas. Apesar disso, os pais deram muita atenção à educação do filho.

Numerosas viagens também desempenharam um grande papel em sua educação e desenvolvimento como pessoa. Posteriormente, ele os chamou de suas faculdades e até considerou a Itália como sua Oxford.

Primeiros versos

Como muitos jovens de sua geração, na juventude se interessou pela obra do principal romântico britânico – Byron, em sua obra seguiu seus princípios românticos.

Em seus primeiros escritos, Robert Browning claramente imita Byron. Por exemplo, na balada “Death of Harold”. Como resultado, ele se dedicou inteiramente à profissão de poeta.

Em 1831, seu primeiro poema foi publicado sob o título “Paulina”.

O primeiro trabalho de Browning foi bastante fraco, mas os críticos reagiram favoravelmente a ele. Suas críticas positivas abriram caminho para ele no prestigiado círculo literário britânico, que na época já incluía Dickens, Wordsworth e muitos outros.

Casamento de Robert Browning

Aos 37 anos, o poeta decide se casar. Em 1849, Robert Browning se casou, sua biografia agora está associada à poetisa inglesa Elizabeth Barrett.

A esposa de Browning era uma mulher doente que não tolerava o severo clima britânico. Portanto, o casal teve que se mudar para um lugar mais favorável para morar – na ensolarada Florença. Lá eles viveram por cerca de 10 anos, visitando ocasionalmente sua terra natal, Londres.

No entanto, Elizabeth não conseguiu se livrar completamente de suas doenças; em 1861 ela morreu.

Robert Browning foi feliz no casamento, os poemas do poeta desse período são uma confirmação vívida disso.

Após a morte de sua esposa, Browning e seu filho voltam para Londres, onde continua sua obra literária.

Ao mesmo tempo, seu filho retorna à Itália, instala-se em Veneza. Em uma de suas visitas regulares à Península Apenina em 1889, Browning morre. Ele tinha 77 anos.

Obras de Browning – Pippa Passes

A lista das principais obras de Browning inclui o drama lírico Pippa Passes.

No centro da história está uma jovem trabalhadora que vive na cidade de Asollo. Seus pensamentos são puros, ela ama sinceramente a natureza e as pessoas.

Na véspera de Ano Novo, ela observa a vida de seus concidadãos. Muitos deles estão felizes, mas Pippa não os inveja. Ela é inocente e seus pensamentos estão cheios de liberdade selvagem. Ela canta, clamando por amor e virtude.

Sua canção é ouvida por amantes – Sebald e Ottima, que acabaram de cometer um crime – mataram o marido de Ottima. Sob a influência da garota, eles decidem expiar o crime com sofrimento e a própria morte.

A bela canção da heroína lírica é ouvida pelo jovem artista Júlio, que decide voltar para sua amada, a quem abandonou.

Então Pippa caminha pelas ruas de sua cidade, transformando a vida das pessoas ao seu redor. Este poema é considerado um dos melhores da poesia inglesa do século XIX.

Obras de Browning – O anel e o livro

Um exemplo de verdadeira obra-prima do poeta é o poema “O Anel e o Livro”.

Robert Browning, cujos poemas eram extremamente populares na época, escreve obras baseadas em uma antiga lenda italiana. Ele fala sobre o assassinato do conde Guido Francesca de sua esposa Pompili porque ela o traiu.

O poema é composto por 12 livros. Cada um deles é uma apresentação de um dos personagens de sua visão de como os eventos se desenvolveram.

Com a ajuda dessa técnica, toda a imagem aparece diante de nós. O poema não possui um enredo único e uma sequência estrita de desenvolvimento de ações.

A principal coisa que o autor presta atenção são os personagens e o estado de espírito de seus personagens.

Obras de Browning – The Paracelsus

Em 1835, Browning escreveu um poema dramático em verso branco, Paracelsus. No prefácio da obra, o autor admite desde logo que ao trabalhar neste poema abandonou as regras tradicionais da arte dramática.

A razão para isso é que o principal para o autor eram as experiências emocionais internas dos personagens, e não o desenvolvimento de eventos externos.

Browning estava profundamente interessado em ciência, então ele escolheu o misterioso alquimista Paracelsus, que viveu na Idade Média, como o herói do poema.

Nele, o poeta retrata a luta de uma alma humana elevada com os obstáculos que se interpõem em seu caminho.

Citações Robert Browning

Tire o amor e nossa terra se tornará um túmulo.

Meça a altura de sua mente pelo tamanho da sombra que ela projeta.

Deus é o poeta perfeito.

O amor é a energia da vida.

As aspirações de uma pessoa devem exceder o que é alcançável, caso contrário, vale a pena se esforçar?

E deixe as possibilidades superarem as expectativas.

Quando a luta começa dentro da própria pessoa, significa que ela vale alguma coisa.

Perdoar é bom, mas esquecer é melhor.

Conclusão

Segundo os críticos literários, Browning é um profundo poeta filosófico. Muitas vezes, a ideia que ele quer transmitir ao leitor excede em muito a arte da obra. Tudo isso leva ao fato de que as obras de Browning costumam ser vagas e obscuras.