Thomas Edison

Thomas Edison: inventor da lâmpada patenteou mais de mil invenções

Em 21 de outubro de 1879 – o inventor americano Thomas Alva Edison testou uma das invenções mais importantes do século 19 – uma lâmpada incandescente. Seu surgimento foi resultado do trabalho de vários cientistas ao mesmo tempo, mas foi Edison quem conseguiu fazer lâmpadas incandescentes maciças.

Quem foi Thomas Edison?

A “apresentação” da lâmpada incandescente de Edison ocorreu na véspera de 1880. Três mil pessoas que vieram naquela noite para Menlo Park ficaram chocadas com o que viram: centenas de lâmpadas brilharam intensamente em um fio esticado entre as árvores.

Ótimo autodidata

Melhorar a lâmpada foi um dos avanços científicos mais brilhantes na vida de Edison, mas está longe de ser o único. Durante sua vida, ele conseguiu patentear mais de mil invenções.

Edison é considerado o grande “autodidata” da América. É difícil de acreditar, mas ele não foi para a escola primária por um ano. 

Os professores o consideravam um sonhador e não queriam vê-lo nas aulas. Thomas foi educado por sua mãe, uma ex-professora.

Ele começou a realizar seus primeiros experimentos independentes em química aos 10 anos no porão da casa de seus pais. 

Quando o jovem químico precisou de equipamentos mais sofisticados, foi trabalhar. 

Thomas, de 12 anos, vendia doces e jornais nos trens e, durante os intervalos, trabalhava em um laboratório improvisado no vagão de bagagens.

Criou seu próprio jornal: Grand Trunk Herald

Gastou o dinheiro que ganhava com a venda de jornais em uma impressora manual, na qual imprimia seu próprio jornal, Grand Trunk Herald.

A publicação falava sobre os acontecimentos no país, sobre a vida da ferrovia, bem como sobre os preços nos pontos de venda mais próximos. 

Em pouco tempo, Edison aumentou a circulação do jornal para 400 cópias e ganhou o primeiro capital para seus experimentos científicos.

Tendo recebido uma quantia impressionante por sua invenção na época, Edison se dedicou inteiramente ao trabalho científico.

Modernizador

Na história das invenções mais importantes do século 20, Edison desempenhou principalmente o papel de um modernizador. 

Ele estava empenhado no aprimoramento das invenções que foram criadas antes dele – o telégrafo sem fio, rádio, equipamento elétrico de potência, equipamento de cinema, carros e aviões.

Sem as atualizações de Edison, o telefone definido por Alexander Bell teria sido difícil de operar.

Pela primeira vez, o mundo ouviu falar de uma lâmpada incandescente, graças ao inglês De La Rue. Muito antes de Edison, ele colocou um fio de platina em um recipiente de vidro e passou uma corrente por ele. 

Depois, houve versões melhoradas da lâmpada – do cientista belga Jobar (Baptiste-Ambroise-Marcellin Jobard), do alemão Heinrich Gobel, do inglês Joseph Wilson Swan e do russo Alexander Lodygin.

Thomas Edison passou 2 dias acordado para inventar a lâmpada

Assim, verificando as características do circuito de carbono da lâmpada, ele passou cerca de 45 horas no laboratório sem dormir ou descansar. E para encontrar o material certo para o filamento, ele teve que experimentar 6 mil cópias de vários tipos de plantas, até que Edison se fixou no bambu japonês.

Como resultado de seu trabalho, ele conseguiu uma remoção muito melhor do ar da lâmpada, devido ao qual o filamento incandescente brilhou sem queimar por muitas semanas. 

Ele também conectou uma lâmpada incandescente, um gerador elétrico, uma tomada e um plugue.

Logo, as lâmpadas Thomas Edison apareceram em todo o mundo.

Filosofia de sucesso de Thomas Edison

Qual é o credo de vida que determinou a incrível classificação científica e comercial dos projetos de Edison?

São conhecidas algumas citações e expressões do cientista, que se tornaram para muitos marcos norteadores, uma espécie de enciclopédia de sucesso.

Com o maior zelo e entusiasmo, Edison seguiu em frente, apesar de repetidos contratempos.

Até quase os 50 anos, Thomas Edison trabalhava até 19 horas por dia e, às vezes, se ficava fascinado por outra ideia científica, não conseguia dormir por dois dias seguidos.

O credo empreendedor do cientista era a frase:

“Nunca invente algo para o qual não haja demanda”. Ao mesmo tempo, o inventor nunca descartou mesmo a ideia mais insana, à primeira vista.

Ele possuía a maravilhosa ideia de que, para inventar algo incrível, não se deve levar em conta a opinião de especialistas sobre a impossibilidade desse evento.

Thomas Edison e família

O cientista casou-se duas vezes e teve seis filhos. Durante toda a sua vida, Edison sofreu de uma deficiência auditiva que não o impedia de realizar muitos sonhos científicos. O inventor morreu em 18 de outubro de 1931.

Thomas Edison entrou para a história como um talentoso otimizador-racionalizador, um empresário de sucesso que não foi destruído por anos de fracassos, mas, ao contrário, ganhou força e foi levado a novas fronteiras.

Mulheres na vida de Thomas Edison

O gênio da história das invenções americanas foi casado duas vezes. Edison não gostava de namoro, tentando não perder tempo com isso, mas teve duas esposas.

Depois de se casar com Mary Stillwell, Thomas foi para o estúdio trabalhar em outra invenção, esquecendo-se da noite de núpcias.

A esposa do cientista morreu em 1884, aos 29 anos, de um tumor no cérebro.

O grande modernizador casou-se pela segunda vez 2 anos depois. Para se comunicar com sua futura esposa com seus pais, Thomas ensinou o código Morse a Mina Miller. No segundo casamento, como no primeiro, o inventor americano teve outra filha e dois filhos.

Outras invenções notáveis

A fertilidade de Edison como inventor é incrível. A lista de seu know-how inclui muitas decisões úteis e corajosas para o seu tempo, que à sua maneira mudaram o mundo ao seu redor. Entre elas:

  • Mimeógrafo: dispositivo para imprimir e reproduzir fontes escritas em pequenas edições.
  • Um cinetoscópio é um aparelho para visualização de um filme por uma pessoa. Era uma caixa enorme com uma ocular através da qual você podia ver uma gravação de até 30 segundos. Era muito procurado antes do advento dos projetores de cinema, que se perderam seriamente na exibição em massa.
  • A cadeira elétrica é um aparelho para a execução da pena de morte. Edison convenceu o público de que este é um dos métodos de execução mais humano e obteve permissão para uso em vários estados. O primeiro “cliente” da invenção mortal foi W. Kemmer, que foi executado em 1896 pelo assassinato de sua esposa.

Morte de Thomas Edison

Thomas Edison morreu aos 83, em 18 de outubro de 1931, de complicações do diabetes. Ele confessou à esposa que “fez o melhor que pôde na vida”.

Uma das maiores mentes do século 19, um inventor de sucesso de sua época, estava convencido:

“Se fizéssemos tudo ao nosso alcance, ficaríamos maravilhados com nós mesmos.”

Thomas Edison: inventor da lâmpada  patenteou mais de mil invenções via @focoefama

Autor(a): Handreza Hayran

Handreza Hayran é editora do Foco e Fama. Acredita que histórias bem contadas, são presentes incrivelmente valiosos.
Também é apaixonada por séries, música, cinema e tudo o que é tecnológico.

What do you think?