O que Tim Burton tem a ver com Coraline e o Mundo Secreto?

Handreza Hayran
4 Minutos de Leitura
tim burton e coraline

Há um mito de que Tim Burton foi o diretor de Coraline e o Mundo Secreto. Mas em resumo, Tim Burton foi apenas um roteirista nominal.

A base literária do filme é um pequeno livro de Neil Gaiman que é chamado de “Coraline”. Claro, existem pequenos desvios da fonte original, mas se admitirmos para nós mesmos, o conto de fadas de Gaiman é mais como um esboço a lápis que precisa apenas de cores e detalhes inesperados, que Selick mais do que fornece.

Coraline é um filme de animação americano lançado em 6 de fevereiro de 2009. Para um espectador despreparado, o desenho parecerá completamente 3D, mas não é. É um filme de marionetes (que foi filmado em stop-motion). 

Stop motion é uma animação quadro a quadro – é graças à instalação que o efeito do movimento do objeto é criado. 

Em palavras mais simples, os objetos envolvidos na filmagem são fotografados muitas vezes e com a ajuda da edição eles são acelerados e parece que estão se movendo. 

Vale ressaltar que os bonecos foram criados pela primeira vez na forma de modelos tridimensionais em um computador, e depois impresso usando a tecnologia de impressão 3D (a partir de equipamentos de impressora 3D). 

Tim Burton não foi o diretor de Coraline

Henry Selick é o diretor, produtor, escritor e designer de produção. Henry Selick é uma personalidade marcante porque trabalhou como produtor e diretor de projetos como The Nightmare Before Christmas, James and the Giant Peach, e também conhece Tim Burton (o rei da animação de marionetes). 

O diretor de fotografia, animador e especialista em efeitos visuais foi Pete Kozaczyk. Vale ressaltar que o desenho animado é baseado no romance de Neil Gaiman “Coraline”. A adaptação cinematográfica não difere muito do original em apenas algumas cenas e um pouco de narrativa.

Coraline Jones: quem é?

Coraline Jones (a personagem principal), junto com seus pais amorosos, mas constantemente ocupados, se muda para um novo local de residência na cidade de Ashland (Oregon). Eles alugam parte de um prédio conhecido localmente como Palácio Rosa. 

Conhecendo os arredores, Coraline sai de casa e, colocando uma videira (galho) na frente dela, se muda para a floresta próxima, onde encontra um gato preto e um menino solitário Wyby Lovat (Wyborn Lovat)

Ela também conhece outros moradores e vizinhos de Ashland. Depois que ela chega em casa, ela explora a casa. Ao explorar a casa, Coraline encontra uma pequena porta fechada com tijolos dentro. À noite, em um sonho, a menina vê um rato saltitante com olhos de botão e o segue até a porta. 

Desta vez, Coraline descobre uma passagem atrás da porta, que a leva exatamente para a mesma casa, para o “Outro Mundo”. O submundo é um reflexo do presente. Nele, Coraline conhece a “outra” mãe e pai. 

A principal diferença entre o mundo de Coraline e o Outro Mundo é que todos os “Habitantes” desta área têm botões em vez de olhos. 

O caráter de muitos também mudou visivelmente, por exemplo, seus pais não estão imersos no trabalho, mas cuidam mais da garota. Ela realmente gosta deste lugar, mas algo ainda não está certo lá. 

Não é à toa que o slogan do filme é “Cuidado com o que deseja“.

O filme de animação recebeu boas críticas da crítica e do público. Aliás, uma curiosidade: a música principal do filme de animação, que foi escrita por Bruno Coulet, estava em um idioma inexistente!

Compartilhe este Post
Nascida e criada em Petrolina-PE, Handreza Hayran é co-fundadora e editora do Foco e Fama. Formada em Computação pela UFRPE, ela também é fã de tecnologia, filmes e séries. Além disso, acredita que histórias bem contadas, são presentes incrivelmente valiosos.