Tonya Harding: a garota má da América

Handreza Hayran
7 Minutos de Leitura

No contexto das carreiras esportivas no mundo da patinação artística feminina, a história de Tonya Harding se destaca. Afinal, invadindo o mundo do grande esporte, essa patinadora artística fez uma verdadeira revolução nele. 

Conheça a história da ascensão e queda de Tonya Harding, que com confiança escreveu seu nome na história do esporte. Não é à toa que os cineastas dedicaram sua vida a um filme em que a famosa patinadora artística foi interpretada por Margot Robbie.

Tonya foi levada para a pista de gelo quando tinha apenas 3 anos

Tonya Harding nasceu em 12 de novembro de 1970 em Portland (EUA). Sua família morava em um trailer e constantemente vagava de um lugar para outro. Tonya contou até 13 mudanças durante sua infância.

Pela primeira vez, Tonya foi levada para a pista de gelo quando tinha apenas 3 anos de idade.

A garotinha olhou em volta e começou a copiar os movimentos das pessoas ali. E então ela disse aos pais que queria voltar ao gelo novamente.

Sua mãe começou a enverginhá-la nos treinos

Quando Tonya tinha 6 anos, sua mãe começou a abusar de maus hábitos, por causa dos tais atos sua atitude em relação à filha mudou radicalmente. Ela constantemente insultava a garota, ia ao seu treinamento e a envergonhava na frente dos presentes.

A jovem Harding decidiu que não queria se tornar como sua mãe e se inclinou para o treinamento. Ela tinha medo de repetir o destino de seu pai e não queria trabalhar a vida toda no setor de serviços.

Ela chegou a fazer aulas de balé

Em sua juventude, Tonya participou de competições e ganhou prêmios mais de uma vez. Mas ela não correspondia à imagem arraigada de patinadora artística.

O público queria vê-la como uma garota bem-educada em roupas caras com um colar de pérolas no pescoço, mas Harding usava jeans e camisas rasgadas, usava um penteado volumoso na cabeça e tingia os cílios com rímel azul.

Em algum momento, ela chegou a ser mandada para aulas de balé para que seus gestos se tornassem “mais femininos”.

Tonya Harding fez um triplo axel com apenas 14 anos de idade

Mas os treinadores tiveram que aturar as manias de Toni, porque como patinadora artística ela era talentosa. A menina não teve medo de testar as capacidades de seu corpo e já aos 14 anos aprendeu a fazer um triplo axel – um dos saltos mais difíceis da patinação artística, durante o qual o atleta faz 3,5 voltas em torno de seu eixo.

Tonya admitiu que na infância costumava cortar lenha, ajudando o pai nas tarefas domésticas. Foi graças a essa lição que sua parte superior do corpo ganhou a força necessária e a patinadora conseguiu mostrar o mesmo eixo triplo no gelo.

Em 1991, Tonya foi ao Campeonato dos Estados Unidos para patinar no programa que inscreveu para sempre seu nome na história do esporte.

Durante a performance, ela demonstrou um salto com 3,5 voltas, que nenhuma mulher americana havia feito antes.

Imediatamente após essa manobra, Harding não resistiu e fez um gesto de vitória com as mãos, embora o número ainda não tivesse chegado ao fim.

Tonya conheceu Jeff Gillooly e posteriormente se casou com ele

Aos 15 anos, Tonya conheceu Jeff Gillooly e posteriormente se casou com ele.

De acordo com pessoas do círculo próximo de amigos da patinadora artística, após o triunfo de Tony no gelo, seu marido ficou obcecado por dinheiro. Ele queria que sua esposa alcançasse novas alturas e trouxesse mais renda.

Gillooly decidiu “neutralizar” a principal rival de Tonya, Nancy Kerrigan

Gillooly decidiu “neutralizar” a principal rival de sua esposa, Nancy Kerrigan. Ele contratou um homem para intimidar Nancy. Tonya afirmou que não sabia nada sobre as intenções do marido, mas previa problemas.

Claro, as suspeitas da ação imediatamente caíram sobre Tonya. Ela foi levada para a delegacia e interrogada por cerca de 10 horas.

Felizmente, Nancy Kerrigan rapidamente se recuperou e voltou ao gelo. Ela e Harding competiram nos Jogos Olímpicos de Inverno de 1994. Nancy ganhou a prata e Tonya ficou em 8º.

Tonya assumiu a culpa por conspirar contra a rival

Após a competição, Tonya decidiu pôr fim à perseguição em relação ao incidente de Kerrigan e recorreu à imprensa. Ela assumiu a culpa por conspirar contra a rival.

Harding foi punida com uma multa e serviço comunitário, e também foi permanentemente proibida de competir na patinação artística.

Tonya começou a trabalhar como soldadora e pintora

Tendo perdido o principal trabalho de sua vida, Harding não desanimou e decidiu seguir a música. Mas logo na primeira apresentação com seu grupo Golden Blades, o público a vaiou. A carreira musical teve que ser abandonada.

Mais tarde, o ex-patinador artístico apareceu em um papel ainda mais incomum – como boxeador.

Ela venceu mais de uma vez no ringue, mas logo deixou o esporte devido a problemas de saúde. Tonya começou a trabalhar como soldadora e pintora.

Filme sobre Tonya

O público já havia esquecido Tonya Harding quando o filme sobre sua vida, Tonya Against Everyone, foi lançado.

E de repente o nome da ex-patinadora artística estava novamente na audiência.

Após o lançamento do filme, Harding participou do reality show “Dancing with the Stars”, onde ficou em 3º lugar, e depois do projeto “America’s Worst Chef”, no qual venceu. Ela doou o prêmio em dinheiro para a caridade.

Compartilhe este Post
Nascida e criada em Petrolina-PE, Handreza Hayran é co-fundadora e editora do Foco e Fama. Formada em Computação pela UFRPE, ela também é fã de tecnologia, filmes e séries. Além disso, acredita que histórias bem contadas, são presentes incrivelmente valiosos.