Vikings: o que era real e o que não era?

Handreza Hayran 21/06/2022
Atualizado 21/06/2022 20:43
7 Minutos de Leitura
vikings

‘Vikings’ capturou a atenção dos espectadores com sua representação de guerreiros vikings, sua sociedade, suas batalhas e ataques impiedosos.

Embora esta não seja uma série documental ou educativa, inevitavelmente surge para os espectadores a questão do que realmente aconteceu e o que foi inventado exclusivamente para a série.

A verdade é que a série se baseia em registros históricos e ficção para manter a história em movimento.

A série originalmente seguiu as aventuras e incursões do lendário Ragnar Lothbrok (Travis Fimmel) e seus irmãos.

As temporadas subsequentes se concentraram mais em seus filhos e suas próprias jornadas, especialmente após a morte de Ragnar na quarta temporada.

Conheça o que é real e o que não é real sobre a série Vikings.

‘Vikings’ inspira-se em sagas escandinavas

“Vikings” inspira-se em sagas escandinavas, histórias de viagens e batalhas escritas no século XIII.

Ragnar é uma figura proeminente nesses livros, com suas próprias sagas e histórias contando sua vida e viagens.

Segundo eles, ele era um guerreiro formidável, conhecido principalmente como o líder dos vikings durante o cerco de Paris em 845. Enquanto Ragnar foi o personagem que gerou a série, Vikings não é apenas sobre Ragnar.

A série também explora outros aspectos da vida viking e personagens de outras sagas e lendas.

Os vikings desenvolveram habilidades marítimas e de navegação

Como mostrado na série, os vikings desenvolveram habilidades marítimas e de navegação, sua própria estrutura social e acreditavam na religião nórdica.

Os vikings acreditavam que após a batalha, o próprio Odin caminhava pelo campo de batalha e escolhia aqueles que retornariam com ele para Valhalla, o lugar para onde os guerreiros iam após a morte.

Eles acreditavam que os deuses tinham a capacidade de mudar de forma

Antigos textos nórdicos dizem que Odin é frequentemente acompanhado por dois lobos (Geri e Freki) e dois corvos (Hugin e Muninn).

Os vikings também acreditavam que os deuses tinham a capacidade de mudar de forma e poderiam aparecer como um corvo, uma coruja ou um lobo, e é por isso que um corvo às vezes aparecia para Ragnar, pois ele é descendente de Odin.

Os vikings eram mais do que apenas selvagens que matavam qualquer um que ousasse ficar em seu caminho durante batalhas e ataques.

A existência de Ragnar Lodbrok não é clara

Como os próprios vikings não deixaram registros escritos de suas viagens, e os que existem passaram pelos anos e pelas diferentes culturas associadas a eles, a existência de Ragnar Lodbrok não é clara.

O diretor da série compartilhou que, após a pesquisa que fez para o programa, chegou à conclusão de que Ragnar realmente existia.

No entanto, as fontes não são confiáveis ​​e, embora seja possível que houvesse um homem chamado Ragnar Lodbrok, é mais provável que seja apenas uma imagem coletiva de um poderoso guerreiro viking para fazer a lenda (saga) parecer mais expressiva.

Ragnar foi baseado em Reginhere, que sitiou Paris em 845

Acredita-se que Ragnar, como personagem de todas essas lendas, foi baseado no líder viking da vida real Reginhere, que sitiou Paris em 845.

Alguns estudiosos acreditam que Ragnall Ua Imar dos Anais Irlandeses também pode estar relacionado à figura de Ragnar.

Rollo realmente existiu

Como tal, a validade de muitos aspectos de sua vida descritos nas sagas e outras fontes não é clara, embora uma coisa seja certa: Rollo, apresentado na série como seu irmão, não tinha relação com Ragnar Lodbrok, mas há sugestões de que ele esteve envolvido (e, possivelmente, liderou) o cerco de Paris, ainda que em 885.

Então, já descobrimos que Rollo realmente existiu, mas não era irmão de Ragnar.

Sua primeira esposa Lagertha é mencionada na Saga de Ragnar Lothbrok, mas ela não era a mãe de Bjorn.

Ragnar mais tarde se casou com a rainha norueguesa Aslaug, mãe de seus filhos (incluindo Bjorn). Assim, todos os filhos de Ragnar eram guerreiros da vida real.

Athelstan é um personagem fictício

Athelstan é um personagem fictício, pois não há registro de um monge cristão sendo sequestrado pelos vikings (sem mencionar se tornar o melhor amigo de Ragnar Lodbrok).

No entanto, havia outro Athelstan vivendo naquela época, e esse era o neto de Alfredo, o Grande.

Floki, é baseado na figura histórica Floki Vilgerdarsson

Um dos personagens mais queridos da série, Floki, é baseado na figura histórica Floki Vilgerdarsson, que fundou a Islândia, mas o Floki da série é uma ficção.

Kattegat também é fictícia

A vila de Kattegat também é fictícia, pois a verdadeira Kattegat é o estreito entre a Dinamarca e a Suécia, e não há registro de uma vila escandinava com esse nome.

Ivar, o Desossado existiu

Ivar, o Desossado, no entanto, é na maior parte verdadeiro, embora suas ações na Grã-Bretanha sejam uma combinação de várias batalhas – e ele não matou seu irmão Sigurd.

Como Vikings é uma série feita para fins de entretenimento, não para educação, a equipe criativa pode tomar quantas liberdades forem necessárias para enquadrar melhor a história que desejam mostrar com personagens que podem ou não existir.

A série conseguiu despertar a curiosidade dos espectadores e interessá-los pela cultura dos vikings e outras figuras históricas, e essa pode ser a parte mais valiosa de seu legado.

TAG:
Compartilhe este Post